quarta-feira, 15 de julho de 2009

EM BUSCA DA TERRA DO NUNCA

“Morre o ídolo pop Michael Jackson”, diz as manchetes de todos os jornais.
Nunca fui daquelas que choram pela morte de estranhos famosos, mas confesso que me causa certa comoção a morte do ídolo que muito ouvi e admirei na infância, quando a família toda colecionava seus albúns e reprisava aos fins de semana, o então VHS de “Moonwalker”.
Dono de uma voz juvenil e autor de mensagens positivas, de como curar uma humanidade doente (Heal de World) e mudar o homem que vemos refletido no espelho (Man in the mirror), pode-se afirmar com segurança que ele deu sua contribuição ao mundo levando alegria e tentando despertar através de suas letras uma humanidade apática, adormecida.
Vivemos a era das “celebridades instantâneas”, dos “artistas que não fazem arte”, conforme proclama nosso sensato Marcelo D2, e Michael foi um artista completo, proporcionando inovações tecnológicas, e por que não dizer culturais, através de seu trabalho, trabalho esse verdadeiramente artístico.
Disse o poeta Gilberto Gil que “de perto ninguém é normal” e talvez o que o mundo via como uma personalidade enigmática, não fosse mais do que excentricidades que não encontraram um espaço íntimo e reservado para abrigar-se, o simples foco distorcido de uma lente que se aproximou demais de seu objeto de observação. Todos possuímos nossos fantasmas, nossas anormalidades e como homem de carne e osso que era, o ídolo pop Michael Jackson não era diferente.
A nós fica a contribuição de seu legado: músicas dançantes, voz suave e mensagens de esperança, tudo isso misturado na personalidade de um artista completo, que, mais preocupado do que a maioria com o futuro do planeta e suas consequências sobre a humanidade, fez o seu papel ao transmitir essa preocupação a uma musicalidade sem fronteiras... fica a esperança, de que em algum lugar possa existir a tão sonhada Terra do Nunca, onde ausentes do tempo todos possamos, um dia, curar nossas feridas...

2 comentários:

Beatriz Vieira disse...

Oi Aline,

Que bom que voltou a escrever no seu blog.. Voltarei a visitá-la.

abraços
Tenho também muitas produções em www.olharaltenativo.com

abraços

Lindemberg disse...

Ele era realmente um ser humano e com toda a profundidade do que isso vem a ser conscientemente.